CONSTRUÇÃO ECOLÓGICA EM GUARATINGUETÁ

Um eletricista renovável de Guaratinguetá (SP) desenvolveu o projeto de uma casa sustentável que pode ser construída por R$ 5,5 mil. Roberto Ribeiro, de 33 anos, substitui o impacto causado pelo cimento e utiliza terra como matéria prima. Duas casas na cidade já foram construídas a partir da ideia.


Ele conta que há cinco anos foi morar em São Paulo. Um ano depois de começar morar na capital, ele assistiu um documentário que o fez repensar sobre a sustentabilidade. “Mexeu comigo no quesito de vida e como as coisas estão caminhando no meio social, deixei o que fazia em São Paulo e voltei para Guaratinguetá”, contou.

Ele passou a estudar eletricidade renovável e a permacultura - uma ferramenta para se colocar em prática, na vida, o uso e o manejo dos recursos naturais.

“Eu conheci essa construção quando comecei a estudar uma forma de construir que fosse de baixo impacto e o gasto financeiro fosse baixo também. E vi a possibilidade de realizar, depois que fiz um curso em Ubatuba de bioconstrucão em uma ecovila na Mata Atlântica. Me apaixonei por construir com terra e diminuir o impacto causado pelo cimento", contou. O processo de extração do calcário, matéria prima do cimento, causa danos ao meio ambiente.

Além da terra, também é utilizado saco de polipropileno para construir a estrutura. Esse saco lembra o usado para armazenas cebolas na feira.

Estrutura

A casa projetada pelo eletricista tem quatro cômodos que têm formatos diferentes das casas tradicionais - a sala, por exemplo, tem formado de meia lua. A fuga do convencional também é uma marca de Ribeiro.



O eletricista afirma que uma casa no mesmo padrão construída de forma convencional custaria cerca de R$ 40 mil.

Duas 'casas ecológicas' já foram construídas na cidade, uma no Jardim Primavera e outra em um bairro rural.

“É uma casa como todas, o formato que muda. Escolhi dois cômodos em formato de meia lua e um cômodo em formato redondo representando o sol. Também tem um mesanino e optei pelo banheiro ser fora da casa. É um caso também que teve uma atenção já que conta com tratamento no próprio local por meio de princípios de microorganismos usando estudos do banheiro seco que não usa água para descarga", explicou.

Ele disse ainda que o tempo de construção é rápida, uma das casas construídas demorou cerca de quatro meses. "É terra ensacada e pode ser feita por qualquer pessoa. O interessado só precisa de uma simples aula e já está apta. É inacreditável, só vendo", disse. Ele ensina gratuitamente como funciona para quem estiver interessado em realizar o projeto.


Nova Casa

O barbeiro Danilo Augusto Ferraz, de 29 anos, está terminando a construção da casa sustentável dele. Ele afirma que escolheu este modelo pelo baixo valor e por não poluir o planeta.



"É ecológica e tem mais beneficíos do que uma casa comum. Se não fosse sustentável, talvez eu não estaria me mudando para morar com a minha namorada, porque hoje me preocupo com as questões ecológicas. Hoje todo mundo só quer consumir e esquece dos recursos naturais. O governo deveria incentivar [ casas como essa]", afirmou.

O eletricista afirma que a iniciativa pode mudar o modo de construção e deve beneficiar, principalmente, famílias carentes.

“Muita gente passou por aqui para ver, de vários Estados e até outros países. Quem vê, se apaixona. É uma troca que acaba acontecendo quando se tem interesse de morar e conviver em um ambiente mais natural e abundante, não esse que percebemos todo poluído. Meu interesse é modificar a cultura do desperdício”, completou Roberto.



Fonte: G1 / Roberto da Luz




#Biopack

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square